Teoria da conspiração? (por João Leonardo Medeiros)

JOÃO LEONARDO

Confesso: sempre fui atraído por teorias da conspiração. Não tenho, aliás, qualquer dificuldade em explicar a afeição por tais teorias, pois é nítido que tudo se deve ao fato de que eu tenha nascido filho de pais de esquerda no período da ditadura. Via, em casa, meus pais dizendo que o golpe militar tinha apoio dos EUA, que tinha apoio de empresários e de distintas famílias de nossa sociedade. O governo negava, a mídia oficial negava, os EUA negavam e, em uníssono, todos acusavam a esquerda de acalentar teorias da conspiração. Hoje, passadas quase três décadas do fim da ditadura, comprovou-se, com documentos e tudo, que o golpe teve apoio e auxílio direto do governo dos EUA, de empresários brasileiros e estrangeiros e de distintas famílias. A teoria estava correta: tratou-se de uma conspiração de direita contra o Brasil, seu povo, sua gente.

Quem tem gosto por teorias da conspiração deve sempre se policiar. Afinal de contas, não apenas o acaso é muito presente em nossa vida, como há causas diversas para os acontecimentos do cotidiano, algumas relacionadas diretamente à satisfação de um objetivo, outras não. Nem tudo é culpa da CIA, do governo, do FBI, do crime organizado, dos maçons, dos políticos etc. etc. etc. – é preciso confessar regularmente, para não buscar piolho na cabeça de careca todo dia. Mas… muitas vezes não é possível resistir à tentação.

Vejamos um exemplo: a interdição do Engenhão. Vamos aos fatos.

Primeiro: com a interdição do Maracanã, o Engenhão tornou-se o palco central do futebol do Rio de Janeiro, casa de 3 dos 4 times grandes do estado no Estadual, no Brasileiro, na Copa do Brasil, na Libertadores e na Copa Sulamericana. Palco das finais do Estadual. Estádio em que se comemorou 2 dos últimos 3 Brasileirões.

Segundo: numa operação sobre a qual pairam muitas suspeitas de corrupção, o governo põe nos trilhos a privatização do Maracanã, parecendo, pelo edital, disposto a fazer uma doação generosa a um grupo privado habituado a atrair magneticamente, de modo mágico, recursos antes públicos, registrando-os com um X. Ciente de sua influência junto ao poder público, o grupo privado endurece a negociação com os dois clubes mais carentes de estádio, Flamengo e Fluminense, acuando suas diretorias publicamente.

Terceiro: numa tentativa de reagir ao domínio de uma empresa interessada apenas em lucros, venham eles do futebol ou do show do Odair José, os dois clubes reagem e anunciam um contrato para uso do Engenhão até o final do ano de 2013, com opção de renovação. No xadrez, seria um xeque, pois a concessionária (dona?) do Maracanã precisará, pelo edital, ter contrato assinado com dois clubes grandes de futebol do Rio de Janeiro. Como Vasco e Botafogo usam, respectivamente, São Januário e Engenhão, restavam… Flamengo e Fluminense.

Quarto: pouco mais de uma semana depois do anúncio do contrato de Flamengo e Fluminense para uso do Engenhão, o prefeito do Rio de Janeiro surpreende o país e o mundo revelando a possibilidade de uma queda repentina da cobertura do estádio e, portanto, a necessidade de interditá-lo de imediato.

Pergunto eu: a sequência de acontecimentos não sugere uma tentativa de salvar a privatização do Maracanã, obrigando Flamengo e Fluminense a assinar com a concessionária do estádio? Será possível que somente agora, no meio da temporada, o problema da cobertura do Engenhão tenha se tornado grave a ponto de exigir uma interdição total do estádio? Há dois meses (quando estive lá pelo menos 4 vezes, inclusive num dia de forte chuva) não havia risco? Se havia risco e, como disse o próprio prefeito, o estádio estava sendo monitorado, não era necessário interditá-lo? Ou a interdição só se tornou imperativa depois que Flamengo e Fluminense reagiram contra a empresa que herdará o Maracanã?

João Leonardo Medeiros

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

16 Comments

  1. E pior!! O meu Botafogo para não perder mais dinheiro está querendo devolver o Engenhão! Ou seja, será licitado novamente e adivinha quem deve ganhar essa licitaçãoX. E o Maracanã ainda ganha mais um novo cliente sem estádio. E quem se ferra mais uma vez são os clubes…

  2. Não duvido nada que essa interdição tenha sido por motivação política,até porque me pareceu muito estranho querer resguardar a segurança dos frequentadores do engenhão(que funciona algumas vezes por semana e por algumas horas)enquanto o elevado do joá que tá apodrecendo funciona TODO DIA,O DIA TODO,e eu não vi a mesma disposição de proteger os seus usuários de riscos como eu vi no caso do Engenhão.
    Empurrar a dupla fla-flu pro Maracanã,nem que pra isso tenha que prejudicar o botafogo,detentor da concessão para administrar o engenhão.Melhor ainda,fazer o botafogo se convencer de que não deve ficar com o Engenhão e colocar não dois,mas três times para jogar no maracanã…qual empresário não iria querer isso(ainda que as custas de o poder publico deixar de ter 2 estadios funcionais movimentando a economia em simultaneo -engenhão e maracanã- para tal)???

  3. O cheque-mate neles seria o acordo de BOTA, FLA e FLU com o dono de SÃO JANU.

    A menos que ‘MANDEM’ uma ‘ordem superior’ de ‘interdição’ também do estádio da colina.

  4. Faz todo sentido, com 3 clubes disputando o Maracanã, a situação ficou bem mais confortável para o concessionário, antes Fluminense e flamengo davam as cartas, já que não havia nenhum concorrente.

  5. Concordo totalmente com você João, e tem mais creio eu que o Botafogo esta blefando quando diz que vai entregar o estadio, acho que nesse caso os dois clubes mais interessados que são fluminense e flamengo deveriam fazer um acordo com a prefeitura de volta redonda e mandarem seus jogos por la.Isso daria um recado claro para a empresa que vencer a licitação no Maracanã e alem do mais os clubes se desdobram sem estadio a mais de meio seculo e um ano a mais outro a menos não faria diferença, já a concessionária por quanto tempo suportaria tal investimento sem ter os clubes que são os que realmente sustentam os estádios?

  6. Muito bom. Aliás, para apimentar a história, antes de morder, o mesmo prefeito assoprou, cedendo os terrenos para a construção dos CT dos clubes do Rio…

    Como e quando será cobrada esta conta?

  7. Infelizmente, sou diferente da maioria de meus colegas comunistas, digo, colunistas do Panorama Tricolor, que não tenho esta necessária referência familiar do autor do presente e bem elaborado textículo, já que sou filho de pai desconhecido e de mãe que dá duro, quero dizer, mole até hoje na Praça Tiradentes. Entretanto, a falta de tal farol nunca me impediu de possuir firme convicção a respeito de alguns importantes temas.
    Por exemplo, no Brasil, política, na prática, tem uma definição diferente da que vemos no dicionário e consiste em negociar (lembrando que todo negócio envolve riscos) exclusivamente com o c# dos outros.
    Outra singela convicção que tenho é a de que em nosso desgraçado país não existe direita nem esquerda, nem capitalistas nem comunistas, mas um número cada vez maior de FDP avessos ao trabalho fazendo política.
    Getulio, Jânio, Brizola, Magalhães, Ulysses, Tancredo, Sarney, Collor, FHC, Lula, Serra, Dilma e todos, eu disse, TODOS, os políticos deste país de m#rda, que é o Brasil, nunca valeram nem valem um tostão furado. Eles, juntamente com sua maldita e asquerosa ascendência e descendência já deveriam ter sido executados a sangue frio e espirrado, a servir de exemplo a outros vagabundos de m#rda que se aventurem pelo tortuoso caminho do crime institucionalizado que ajudaram a criar.
    Por último e sem demagogia, tenho plena convicção de que o povo tem mais é que se f#der, pois que se trata daquela maior parcela da população que vive apenas para beber, comer, procriar, se divertir, mas que foge do estudo (quando criança) e do trabalho (quando adulto), como o diabo foge da cruz.
    Para terminar e voltando ao textículo do nobre colega, tão certo como os EUA financiaram um lado, também é fato notório que a URSS financiou o outro. Foi a chamada Guerra Fria.
    Até hoje, os vencedores riem e os que perderam choram. C’est la vie.
    Teoria da conspiração é o meu p#u! 😛

    1. Paulo-Roberto Andel comenta: Marciorocha, já te disse, você perdeu tempo em querer vir para um site de comunistas tricolores. Teu lugar é na ABL em plena dialética com o outro ser supremo da intelectualidade brasileira: Éfiagácê. Ou no Ratinho, que tem muito mais audiência do que esta humilde casa. Ou então mantendo o teu talento inigualável de humorista literário, porque de cientista político…

      Não entendo tanta raiva contra tanta gente já falecida. Ponha amor nesse teu coração. Afinal, você também é do povo (ou não) e, assim sendo, a chance de te fornicarem na maldádi é a mesma, conforme visto acima nesse quilométrico panfleto fascio-niilista que você desfraldou. Ganha bem, viaja bastante, tem estabilidade… por que tanta ira?

      Podemos julgar então que a Teoria da Conspiração é mole? 🙂 🙂 🙂

    2. Cara, vc é muito hilário.Adorei o seu sarcasmo.Concordo em tudo que escrevestes.

  8. Cadê o laudo ? Em 94 participei de uma remoção de moradores atrás do Barra Shopping. A prefeitura alegava que ali era área de proteção ambiental. Dez anos depois todas as mídias anunciavam a construção do mega empreendimento “Península”. Em que vc quer que eu acredite.

  9. Boa! No mesmo dia que saiu a interdição do Engenhão dei meus pitacos por aí dizendo exatamente o que você está dizendo na sua coluna, ninguem respondeu, concordou, discordou ou entendeu… eu não tenho dúvida que a “conspiração” é essa mesmo.

    Se o jogo não for esse, assumiram o risco de nos matar (sem a preocupação de agora), pois a estrutura do Engenhão corria o risco de cair há tempos, sabiam disso e ninguem fez nada.

  10. Aê Andel! A teoria da conspiração não é somente mole, mas pequena e tende à esquerda, se é que você me entende.
    Caro amigo, não há lugar para o ódio em meu coração (nem tampouco para o amor, mas isso é uma longa estória que não vem ao caso).
    Já desisti, há muito,de convencer as pessoas de que não faço humor. Ao contrário, a seriedade pauta as minhas ações em sua totalidade, mas as pessoas vivem em função do que acreditam.
    Vivamos, pois, com nossas convicções, que sendo diversas, nos leva ao saudável hábito de debater ideias, que a vida teria menos graça se fosse diferente.
    A propósito, Rhayner é um m#rda do c#ralho. 😛

    1. Paulo-Roberto Andel comenta:

      1) Marciorocha, eu não sabia que você manjava para que lado a Teoria da Conspiração tende ou balança, mas aqui você é sempre bem-vindo. Não tem discriminação no PANORAMA;

      2) Sinceramente, eu achava que você fazia humor no que escreve, ao menos é o que todos os bípedes me disseram (alguns quadrúpedes também). O que faz rir traduz humor. Ainda bem que sou péssimo leitor e escritor para não compreender a seriedade éfiagaceana da tua literatura… aliás, outro dia você me chamou de humorista, não? Vindo de um especialista, foi um elogio e tanto – rá, rá, rá!;

      3) “A propósito, Rhayner é um m#rda do c#ralho.” – o que tirar disso que não seja uma sonora gargalhada? AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

      Braxxxxx 🙂

Comments are closed.